sábado, 14 de março de 2009

Tertúlia Virtual


Desejo

Queria descobrir onde está a chave do baú onde guardei meus sonhos de menina.

Sonhos guardados junto a desenhos de casinha (daquelas com chaminé, sol sorrindo e árvore no jardim), livros de contos de fada (aquele da Chapeuzinho Vermelho carregando um potinho de mel que minha irmã rasgou), cavaleiro andante me fazendo a corte quando já mais crescida.

Gosto de amora colhida na silva, de pastel de nata da terra da minha avó.

Cheiro de terra depois da tempestade rápida, de orvalho nas folhas do jardim florido. Cheiro de maio de manhãzinha.

Onde guardei? Há manhãs onde encontro a chave, as respostas, encontro os sonhos. São manhãs de meia-estação. Dessas assim mágicas que surgem suaves, trazendo vida plena.

Depois de manhãs assim, durmo cheia de certezas, plena em lua, repousando e sonhando no travesseiro azul.

São dias-estrela...

16 comentários:

Eduardo P.L disse...

Linda e feminina participação neste DESEJO da TERTÚLIA!
Muito obrigado por participar, Ana Paula!

Bjs cor de rosa!

expressodalinha disse...

O desejo da sensação. Só na infância e na adolescência as vamos tendo. Com o passar dotempo elas, as sensações, são cada vez mais raras. Tudo já foi visto, experimentado. Só temos percepções. A nostalgia da infância é o baú do nosso ser. Guarda bem a chave que é preciosa. Beijos.

Christi... disse...

Emocionante seu texto, o desejo de menina, tive um reencontro com os meus.

Belíssimo.

Bjs querida.
Chris

Luis Bento disse...

Lindíssimo!Os teus posts estão sempre carregados de sensibilidade e sentimento. Há que manter os sonhos...e os desejos de menina. O desejo não morre e, por força de tanto insistir, concretiza-se!

disse...

desejar manter viva sempre a criança dentro de nós..que linda menina que ela esteja mais viva do que nunca!

Georgia disse...

Lindo o seu desejo. Tb desejo algumas vezes e me pergunto onde estao os meus desejos de menina. Muito bom.

António Oliveira disse...

De facto, nada melhor do que um cafézinho, um pastel de nata e um jornal logo pela manhã.
A meia-estação marca a diferença.
Gostei.

Ana Paula Motta disse...

Eduardo P.L, eu é que agradeço a oportunidade de participar desse grande espaço de troca que é a Tertúlia.

expressodalinha, realmente essas sensações não têm preço e apacentam a alma.
Um abraço

Vi, manter um pouco que seja da menina é o que nos move rumo aos sonhos.
Beijinhos

Ana Paula Motta disse...

Christi, tento manter encontros diários com a menina em mim, mas nem sempre consigo, quando o faço é muito bom.
Beijinhos

Georgia,obrigada pela visita, volte sempre.

António Oliveira, os pastéis de nata são um dos sabores da infância que carrego pra sempre.

Ana Paula Motta disse...

Luís, os sonhos têm que ser cultivados, às vezes não é muito fácil. Mas vale a pena, não é?
Os desejos podem ser concretizados sim, que bom...
Beijos

Nanda disse...

Que então vc tenha mais e mais dias de puro deleite!
Obrigada pela visita!

Alice Salles disse...

Nossos desejos não morrem. É deles que somos feitos... Que lindissimo e tocante texto...

Ana Paula Motta disse...

Nanda, eu também agradeço a visita e os bons votos.

Alice Salles, somos dos desejos que somos feitos realmente. Obrigada pelo elogio e pela visita.

Compondo o olhar ... disse...

que lindo seu poema, amei de paixão... parabens pela bela participação desta blogagem coletiva.... ja estou aguardando a proxima.

abraços

Valdeir Almeida disse...

É por não possuir mais esses desejos de criança que os ser humano muitas vezes se torna tão rude.

Gostei da sua abordagem para a Tertúlia.

Abraços.

http://www.ponderantes.blogspot.com

Ana Paula Motta disse...

Compondo o olhar, obrigada pela visita e por ter gostado do texto.
Um abraço

Valdeir Almeida, é verdade que o afastamento da criança que há em nós traz uma certa rudeza, por isso é bom não deixá-la morrer.
Obtrigada pela visita.