sábado, 8 de maio de 2010

Porque só somos mães por causa deles...


Parceiros

Walnize Carvalho

Os conheço de longa data.
Parceiros, amigos, quase gêmeos... Irmãos!
São que se pode chamar: banana iconha; irmãos siameses; a porca e o parafuso; o Gordo e o Magro; Cosme e Damião; Jararaca e Ratinho; Chitãozinho e Xororó; dada à afinidade e cumplicidade que os une.
Na infância, Batman e Robin foram seus personagens preferidos, o que correspondia vestirem, literalmente, a fantasia...
Cresceram freqüentando os mesmos bancos escolares, as mesmas festinhas, repartindo desabafos e confidências com os mesmos amigos.
Como em qualquer parceria (e com eles não pode ser diferente) ficam definidas as sutis diferenças, pois são elas que dão o toque harmonioso da convivência.
Com o passar dos anos, cada um seguiu seu caminho, na escolha das profissões, das paixões e decisões.
Mesmo assim – ainda que ocupem espaços físicos diferentes – percebe-se uma linha tênue e transparente que faz com que se aproximem sempre.
Há uma torcida mútua pelo sucesso de cada um. (Ah! não posso em esquecer!...) torcem pelo mesmo time de futebol, o que os leva aos estádios em prazerosas tardes de domingo.
Em se tratando de dor ou alegria seguram-nas de mãos dadas e firmes dividindo o peso em partes iguais.
Existe compreensão recíproca no modo de agir, pensar e viver já que com o amadurecimento os traços de suas personalidades ficam bem evidenciados: um carrega o piano, o outro toca o piano; um é samba, o outro é jazz; um dirige o carro, o outro é sempre carona; um está sempre pronto a ajudar, o outro sempre pronto a ser ajudado...
E foi por conta disso, que dias desses – descontraídos e felizes – se auto-denominaram: o prestativo e o imprestável acompanhado de sonoras gargalhadas.
Abraçaram-se como “cocota e ranheta” e pude – mais uma vez – ver selada a fraternidade entre eles.
(aos meus filhos dos quais recebi o título de Mãe)

5 comentários:

Natália Augusto disse...

Olá amiga,

Tens um prémio à tua espera no meu blogue.

Passa por lá.

Beijinhos

Marcos Aquino disse...

Adorei, o seu post, queria que a minha mãe falasse assim de mim, mais mesmo não tendo uma boa relação com ela, eu amo ela e ela me ama disso eu sei. Eu segui porque vou voltar! Beijos

walnize carvalho disse...

Caro Marcos,
O importante é o que você afirmou:Vocês se AMAM!
Walnize

Ana Paula Motta disse...

Marcos Aquino ela também te ama. Volta mesmo.

Arthemis de Cárcamo disse...

Muito lindo este poema e grato ao meu coração porque retratam meus dois filhos, tão lindos, tão amigos, apesar da grande diferença de personalidades. Além de amigos entre si, são meus amigos e estão sempre por perto, se preciso de ajuda. Isto é a verdadeira felicidade para uma mãe.