sábado, 24 de janeiro de 2009

Ventos quentes e poesia


Recebi esse recadinho por e-mail da minha amiga Auciliene Freitas me apresentando uma poetisa, Celina Ferreira, que ela conheceu através de um amigo. Singelos versos. Doces. Repletos de sinceridade. Uma delícia que saboreei na tarde quente de um domingo. Hoje republico porque a tarde está linda e eu ando especialmente assim:EU e me sentindo bem como numa manhã de maio (desculpe a "reprise").
Os versos dela que me foram apresentados são assim, puros, delicados. Sua tristeza, doce. Deixo para que leia hoje este poeminha que amo, por sua beleza, sua feminilidade, sua simplicidade. São versos melodiosos, singelos, bons para serem lidos em voz alta, devagar, saboreando bem as palavras. Dedico especialmente a minha amiga Ana Paula Motta (que, tenho certeza, adorará).” Aucilene

Ele me beija tão manso


Ele me beija tão manso
que eu penso tudo: cascatas
brotando dentro de mim.

Penso flores, penso musgo,
pedrinhas claras, redondas.
rolando dentro de mim.

Penso nuvens transparentes,
areias brancas, desertos,
mares longínquos de mim.

Ele me beija tão manso
que me perco no meu mundo
tão pequeno e tão sem fim
!

Celina Ferreira



2 comentários:

Luis Bento disse...

Como sempre, a selecção dos textos e das imagens transportam-nos para um espaço puro, doce, leve...

Ana Paula Motta disse...

Como sempre esses comentários cheios de elogios,sinceros,gentis...